sábado, 11 de agosto de 2007

O preço da curiosidade e o mistério do planeta


Leitores, amigos e leitores-amigos: já se vai uma semana que estamos aqui. Pouco tempo para avaliar o trabalho (que gostaria que fosse analisado mais sob o filtro da crítica que do ineditismo, mas vocês é quem mandam), mas tempo suficiente para confirmar uma nossa hipótese antiga: o preço da curiosidade pode ser bem barato.

Antes de duvidar, vejam a tabelinha, por pessoa. É estimulante:

Hospedagem (com café da manhã incluso): 50 bolivianos/dia = aprox. 13 reais
Alimentação: em média 40 bolivianos/dia = aprox. 10 reais
Táxi para qualquer lugar da cidade: 10 bolivianos = aprox. 2,50 reais
Telefone a vontade por uma semana: 80 bolivianos = aprox. 20 reais
Contato com as fontes (só para jornalistas): ainda é de graça.

Façam a soma aí para ver que sobra dinheiro para comprar jornal, tomar café e cerveja. Posso dizer que até agora não economizei em nada (teve dia que comprei exemplares de todos os jornais da banca por caríssimos 25 bolivianos... ou míseros 6,50 reais!). No total, a semana deve ter saído por uns 200 reais. Desafio quem me mande, daí, um orçamento mais barato. Como bom Ricardo: cubro qualquer oferta!

Claro que nossa curiosidade, se livre da força da grana, talvez nos levasse a lugares bem mais caros. E talvez por isso mesmo inviáveis. Mas, se alguma audácia há nesta iniciativa, financeira é que ela certamente não é.

O que me admira não é a ponta de coragem que temos (não contem para ninguém, mas estar aqui é uma soma de vários medos... de não dar nada certo, do avião cair, de o ônibus virar, de 12 mil homens armados sairem de não-sei-onde e declararem guerra civil, de ter dor de barriga comendo panza empanada, de nos tornarmos, dentro de um mês e pouco mais, os mais novos heróis-desempregados da Bahia).

O que me admira é que pareçamos sempre assim tão "inéditos", mas que o que até nós achamos barato pareça sempre muito caro, embora sejamos tão caros a tanta gente. Ora, pessoal, não somos novos baianos, senão mais uns baianos novos. Muito metidos a retados, é verdade. Mas por que não?

A propósito, dos Novos Baianos de verdade:

"Vou mostrando como sou
e vou sendo como posso
jogando meu corpo no mundo
andando por todos os cantos
e pela lei natural dos encontros
eu deixo e recebo um tanto
e passo aos olho nus
ou vestidos de lunetas
passado, presente
participo sendo
o mistério do planeta"

A música se chama O mistério do planeta.

4 comentários:

Bruna Hercog disse...

Muito legal! Acompanhar o blog me deixa perto de vcs! Um grande Êa para a coragem dessa equipe! rs

Bjs
Bruninha

Carla disse...

Pessoal!!!!
não vejo a hora de botar minha mochila nas costas e viajar "igual" a vcs!!
Rick... aproveita que eh tudo baratinho por ai e TRAZ PRESENTE pra sua irmãzinha querida!! huhauahua
beijos pessoal! Boa viagem/aventura!!

Cau

Seo Ari disse...

"...O tríplice mistério do stop
Que eu passo como sendo ele
No que fica em cada um
No que sigo o meu caminho
E no ar que fez, que assistiu,
Abra um parêntese, não se esqueça
Que independente disso
Eu não passo de um malandro
De um moleque do Brasil
Que peço e dou esmolas
MAS ANDO E PENSO SEMPRE
COM MAIS DE UM
Por isso ninguém vê minha sacola"

alerts disse...

miu miu bag
miu miu bags
miu miu handbag
miu miu purse
miu miu wallet